noticias

“No lugar de partidas e chegadas, a cultura vem para ficar…” É desta forma que Simone Araújo, diretora de ações culturais da Fundação Municipal de Cultura, define mais um grande passo na história da Virada Cultural de BH. Um sonho alimentado desde 2013, a praça da Rodoviária, enfim, será mais um espaço ocupado pela diversidade cultural de BH. Local que integra a região que recebe grande parte das atrações do evento, como a Praça da Estação e a Guaicurus, a Praça da Rodoviária deixará de ser apenas mais um ponto da cidade e, nos dias 9 e 10 de julho, irá receber a performance audiovisual HOL – Ponto; um videogame sem vencedor, nove DJs e quatro VJs da festa MASTERplano, e a instalação FONE.

Para Simone Araújo, a inclusão da Praça da Rodoviária no circuito do evento vem para ratificar a ideia de que a Virada é de todos e para todos. “Tratava-se de um local árido e até um pouco esquecido que, com a remodelação do hipercentro tornou-se mais acolhedor tanto para quem mora em BH quanto para o turista. Ao chegar na Praça da Rodoviária, a Virada tem o desafio de trazer um novo olhar para um local que, geralmente, é visto apenas de passagem”.